Tomas Tranströmer, Nobel da Literatura


Tomas Tranströmer, poeta do realismo íntimo
     Estocolmo - O sueco Tomas Tranströmer, 80 anos, ganhou nesta quinta-feira o Prémio Nobel de Literatura, mas já era o poeta escandinavo vivo mais conhecido no mundo com uma obra que explora as relações entre a intimidade e o mundo ao nosso redor.


     Psicólogo de formação, ele sugere que a análise poética da natureza permite nadar nas profundezas da identidade humana e em sua dimensão espiritual.
     "A existência de um ser humano não acaba aqui onde seus dedos terminam", declarou um crítico sueco a respeito dos poemas de Tranströmer, descritos como "preces laicas".
      O renome de Tranströmer no mundo de língua inglesa se deve muito a sua amizade com o poeta americano Robert Bly, que traduziu para o inglês boa parte de sua obra. Posteriormente traduzida para quase 50 idiomas.
      Os poemas de Tomas Tranströmer são ricos em metáforas e imagens. Eles ilustram cenas simples tiradas da vida quotidiana e da natureza.
      Seu estilo introspetivo, descrito pela revista Publishers Weekly como "místico, versátil e triste", confronta a própria vida do poeta, engajado na luta por um mundo melhor não somente através dos poemas.
      Nascido no dia 15 de abril de 1931 em Estocolmo, Tomas Tranströmer foi educado por sua mãe após o abandono, muito cedo, de seu pai.
      Obteve o seu diploma de Psicologia em 1956, trabalhou no Instituto Psicotécnico da Universidade de Estocolmo, antes de se ocupar em 1960 de jovens delinquentes num instituto especializado.
     Durante a criação da sua rica obra poética, cuidou de deficientes, condenados e dependentes químicos.
     Aos 23 anos, enquanto ainda estudava Psicologia, publicou o seu primeiro livro intitulado "17 poemas", pela maior editora sueca, Bonniers, com a qual permaneceu ligado durante toda a sua carreira.
    Para a editora, a poesia de Trantrömer é "uma análise permanente do enigma da identidade individual frente à diversidade labiríntica do mundo".
http://ler.blogs.sapo.pt/817892.html

Sem comentários:

Enviar um comentário