Pela Humanidade, pela Paz!

Paz
Calado ao pé de ti, depois de tudo, 
Justificado 
Como o instinto mandou, 
Ouço, nesta mudez, 
A força que te dobrou, 
Serena, dizer quem és 
E quem sou. 
Miguel Torga, in 'Diário (1939)' 

Sem comentários:

Enviar um comentário